segunda-feira, outubro 23, 2006

Futebol: Sporting 1 x FCP 1 - Quando a SORTE não nos acompanha...

O empate foi um mau resultado face ao produzido pela nossa equipa no encontro da noite passada. Mais uma vez, futebol ofensivo consistente e pressionante, oportunidades de golo e... vitória nada! Mais uma vez, lance decisivo na área contrária com potencial determinante para o resultado final e... bola no ferro!
Se entrámos bem no inicio do jogo e acabámos da melhor maneira possivel a 1ª parte, começámos a 2ª sofrendo um golo mercê de uma defesa "tenrinha" (Ricardo incluido). Mesmo assim a equipa reagiu, voltou a pressionar, mas não conseguiu materializar o ascendente no jogo, acabando ainda por se desconcentrar no final da partida, permitindo algum assédio portista nos últimos minutos do jogo. Tudo resumido, dificilmente vamos voltar a ter uma oportunidade como esta de bater um FCP frouxo, apagado, amedrontado por vezes, e tão ultrapassável.
Destaques positivos na nossa equipa:
- Yannick: claramente o jogador em melhor forma do plantel actualmente;
- Paredes: mesmo numa posição que não é a sua (para quando PB o devolverá á sua posição de origem?!), esteve muito bem e enganando-se por 2 vezes, esteve perto de marcar;
- Polga: imperial, classe pura, enorme exibição;
- Liedson: tenta tudo mas o titulo do post aqui encaixa que nem uma luva!
Pela negativa também há a referir:
- Custódio: nunca acertou com o ritmo de jogo, não entendo a sua titularidade e pior ainda a sua manutenção em campo quando PB decidiu mexer na equipa;
- Ricardo: um erro de palmatória e pior ainda uma indignação ridicula quando confrontado educadamente pelo reporter na flash interview sobre possiveis (eu diria óbvias!) responsabilidades no lance.
- Nani: apetece-me dizer que é o que dá estes endeusamentos precoces. Precisa de voltar á realidade e rápido, e essa apresenta-nos um jogador com dificuldades normais em ter um rendimento constante ao mais alto nivel a este ritmo de jogos bisemanal para a sua idade. Solução passa só e unicamente por mais trabalho com a máxima humildade.

3 comentários:

PPA disse...

Sporting, 1 – Porto, 1 (a sina das “bolas na trave”)

Pelo menos desta vez não perdemos pelo velhinho 0-1!
A história habituou-nos a ver sempre o “mesmo jogo” em Alvalade nos clássicos Sporting – Porto:
- Sporting sempre em cima e a dominar mas a não conseguir marcar;
- Porto a jogar á defesa, mas a marcar sempre o golo da praxe, acabando por levar os 3 pontos (antes 2);
- Claramente era um jogo onde a sorte do jogo nunca estava com o Sporting; mas também era muito raro o Porto ir a Alvalade sem estar bem á frente na classificação.
Desta vez as equipas partiram empatadas para o jogo e assim continuaram, muito por culpa da falta de sorte do Sporting, e também da patente falta de frescura física na parte final do jogo, onde com mais pressão (e menos bolas nos ferros) estou convicto que o Porto acabaria por ceder; uma vez que só foi superior ao Sporting nos primeiros minutos da 2ª parte e logo na altura onde conseguiu o seu golinho, após um perigoso centro-remate que Ricardo desvia para canto e depois após uma grande confusão, Quaresma acaba por rematar para o golo do empate. Ricardo tem culpas no lance, pois aliviou para o pior sítio.
O jogo não foi muito bem jogado por vários motivos, entre os quais o temporal, o estado do terreno e o cansaço das equipas em virtude dos jogos da LC; jogo onde o Sporting foi quase sempre dominador e construiu oportunidades mais do que suficientes para ser o justo vencedor do desafio, até porque foi a única equipa interessada em vencer o jogo; tal como é a opinião de Paulo Bento e do próprio Jesualdo Ferreira:
Paulo Bento: “Foi melhor a exibição do que o resultado”.
Jesualdo Ferreira: “O resultado foi melhor do que a exibição”; “Temos de jogar mais do que hoje”.

Positivo:

Clássico mais correcto do que o habitual: tendo em conta o estado do terreno, foi bastante positiva a postura da generalidade dos atletas, não havendo grandes casos ou faltas assassinas.
Sporting: mostrou capacidade conseguindo encostar o Porto em quase toda a partida.
Moutinho: um jogador enorme. Não tenho dúvidas de que se refinar a finalização, temos aqui um dos melhores jogadores mundiais, mas como ainda é muito novo, ainda é cedo para sabermos se algum dia vai ser forte nesse aspecto tão importante. Tácticamente é quase perfeito!
Djaló: enquanto teve força, foi um dos melhores. Provou ter perfil para marcar nos grandes jogos.
Tello: não sendo um defesa, cumpriu, mesmo tendo pela frente o melhor jogador do Porto, Quaresma; e ainda teve peso no jogo atacante dos Leões.
Paredes: teoricamente seria um trinco, mas na verdade jogou mais á frente, estando á beira de marcar por 2 vezes, mas Hélton evitou, na 1ª para a barra, na 2ª para canto.
Centrais: noite muito acertada dos centrais das 2 equipas, com muito poucas falhas.
Hélton: muito bem, com algumas defesas decisivas, excepto numa escorregadela em que Liedson quase lhe roubava a bola.
Quaresma: não fazendo um grande jogo, pois perdeu quase sempre para Caneira, acabou por ser o melhor do Porto se exceptuarmos Hélton, acabando por obter o empate tão desejado.
Pedro Proença: acho que foi positiva a sua prestação, com excepção da não mostragem do 2º Amarelo a Paulo Assunção. Já é um hábito esta protecção aos jogadores deste clube. Proença não expulsou, Jesualdo apressou-se a substituir o prevaricador.
Negativo:

Finalização do Sporting: mesmo perante um grande GR e as já tradicionais bolas nos ferros, temos que admitir que a finalização não anda famosa em Alvalade.
Liedson: tem mesmo que ir á bruxa! Se algumas vezes não esteve bem, tem 2 lances com um azar incrível: primeiro ganha a bola após uma trapalhada dos defesas e GR do Porto e chuta bem mesmo pertinho da baliza, mas a bola foi bater na perna do defesa (sem saber como) e não entrou. Depois tem uma excelente cabeçada que vai ao ferro, numa altura em que o golo seria decisivo.
Nani: atravessa um momento menos bom e ainda é ingénuo, pois logo aos 7’ jogou a bola com a mão, tentando enganar o árbitro; o que lhe custou um amarelo. Ainda assim foi dele a assistência para o golo do Sporting.
Fiscais de Linha: aos 62’ mal assinalado FJ a Liedson e depois foi inventada uma nova regra no futebol: FJ ao próprio jogador: Polga adianta a bola para a receber ele próprio e o assistente marca FJ. Não me espanta, pois já vi marcar FJ num lançamento! Estes senhores são internacionais!?, mas não têm qualidade.
NOTA: Falta algo a este Sporting, pois não conseguiu vencer os últimos 2 jogos contra o Bayern e Porto. Não teve a sorte do seu lado nestes embates, mas falta algo mais...

PPA disse...

Não concordo com Paulo Bento, ao retirar Paredes, pois gostei do Paraguaio.
Eu tinha tirado antes o Custódio, passando o Paredes para trinco.

bgvp disse...

O Sporting nao conseguindo ganhar aos 80m...ja foi bom n ter perdido...pq normalmente o fcp depois dos 80m marca sp em alvalade e vence sem saber ler nem escrever.

Face a produção da equipa mereciamos vencer, deram td por td mas qdo nao da nao da mais vale arrancarmo-nos ao que podemos e 1 ponto é melhor que 0...e melhor ainda que 3 para o fcp...

Qto aos nossos jogadores, o Paredes agradou-me, o Yannick nao podem pedir mt dele, o Liedson anda com muito azar, o Nani tem que ter calma com ele não é assim tão bom nem é assim tao mau...o Ricardo errou mas a defesa ficou completamente parada...nao pode ser.