segunda-feira, agosto 27, 2007

Futebol: FCP 1 x Sporting 0 - Erro? De quem?!

Analisando de uma forma geral a prestação global da nossa equipa, diria que não passou de mediana. Tão mediana quanto as exibições individuais de centrocampistas como Romagnoli ou Izmailov. De facto, concordo totalmente com Paulo Bento quando refere que ofensivamente tivemos 30 minutos iniciais inexistentes e uma ligeira melhoria na 2ª parte apenas para o mediano. E com uma exibição desse nivel só puderiamos aspirar a trazer 1 (mísero) pontinho do Dragão, isto porque defensivamente estivemos organizados como sempre. Neste aspecto, de salientar a (1ª) boa prestação de Ronny, sempre bem equilibrado defensivamente e ofensivamente na sua faixa lateral.
Então como explicar outro resultado que não o nulo?!
Basicamente, porque existiu um erro. Mas, erro de quem?!
Sugiro a divisão desta resposta em 2 pontos.
1. Polga corta a bola na direcção da sua área, Tonel abre as pernas e deixa a bola rolar até Stojkovic. Este sem uma pressão sufocante, logo com tempo para afastar a bola ao pé, decide dominar e seguidamente agarrar a bola. O nivel de pressão do adversário não justificava nem de perto, nem de longe o precipitado e sobretudo arriscado (dado o nivel já habitual de pressão sobre a arbitragem existente no Dragão), agarrar da bola.
2. Jorge Coroado refere que segundo as directivas da Uefa estas situações de atraso de bola ao GR que agarra á mão, estão perfeitamente tipificadas e clarificadas, sendo que, no seu entendimento, fica claro que não existe qualquer atraso de bola ao GR, mas sim um corte por antecipação de Polga, que envia a bola na direcção de um seu companheiro de equipa e só posteriormente o GR segura a bola. Logo, claramente, não existiu motivo para livre indirecto.
RESPOSTA: A responsabilidade do erro é maioritariamente arbitral, sendo que não deve deixar de ser apontado o acto arriscado e muito precipitado de Stojkovic em segurar aquela bola.

Uma nota final para a arbitragem de Pedro Proença. Se tecnicamente na minha opinião e de Jorge Coroado esteve mal e com isso teve influência directa no resultado do jogo, pior foi o seu desempenho no controlo disciplinar da partida. Entradas como a de Quaresma e Bosingwa dignas de vermelho directo, mereceram do árbitro um amarelo no 1º caso e (imagine-se!!!) nada no 2º. Entretanto, Pedro Emanuel decidiu brindar Derlei com uma cotovelada, outra situação claramente tipificada pela Uefa e para a qual existem directivas que obrigam á exibição do cartão vermelho nestes lances. Logo, estou com o "pasquim vermelho" A BOLA, ao descrever a arbitragem de ontem, de muito boa! :))))))))

7 comentários:

PPA disse...

Claro que se inventou contra nós um novo lance no futebol: o SUPER-PENALTY.

Visconde disse...

Aconteceu o que já era de esperar, depois de uma semana a falarem de pressão e a focarem o jogo da supertaça numa de coitadinhos.
É preciso continuar como até aqui, não é esta derrota cozinhada que nos vai desviar do titulo.
Saudações

PPA disse...

Pior a emenda do que o Soneto. CORAGEM JÁ!

- Uma vez que o que aconteceu foi isto:
http://www.youtube.com/watch?v=jbBPM6xRj6I

- Uma vez que a LEI diz claramente isto:
É concedido um pontapé-livre indirecto à equipa adversária sempre que o guarda-redes tocar com as mãos na bola vinda de um passe atirado deliberadamente com o pé por um seu colega de equipa. (Lei nº 12 das Regras do Futebol, relativa a “Faltas e Comportamento Anti-Desportivo)

- Uma vez que Proença vem a público declarar que voltaria a marcar o livre porque acha que a lei é clara e objectiva e procedeu bem:
http://www.record.pt/noticia.asp?id=755956&idCanal=280

Só me resta tirar a seguinte conclusão: ou Proença é um perfeito analfabeto que não sabe ler e não conhece minimamente as leis do jogo em que é Juiz, e será então caso para se averiguar como semelhante IGNORANTE pode ter sido o 1º classificado da arbitragem Portuguesa? Ou então o caso é mais grave e este indivíduo está nitidamente a gozar com a cara das pessoas, nomeadamente dos DESPORTISTAS e dos Sportinguistas e não tem as mínimas condições para ser Juiz de NADA.
Pior cego é o que não quer ver, e insistir no ERRO não o reconhecendo, é inqualificável para uma pessoa na sua posição.
Assim sendo, aguardo pelas medidas a serem tomadas pelo chefe da arbitragem, o Sr. Vítor Pereira, mas ainda que com medo de que se entre no velhinho corporativismo tão tipicamente Lusitano.

Em Inglaterra um árbitro pediu desculpas públicas por se ter equivocado num penalty, e foi publicamente castigado por um período de tempo.
Haja coragem para castigar Proença também!

Mais, nas suas declarações reconhece sim que ERROU ao dizer que Quaresma deveria ter sido expulso aos 33’.
Gostaria de lhe lembrar que se tivesse interpretado correctamente a Lei teria que expulsar 3 jogadores do FCP por conduta violenta; mas uma vez que assumiu UMA expulsão, aguardo que as entidades competentes pelo menos apliquem os respectivos 2 jogos de castigo ao atleta em causa.

VOLTANDO á tal lei nº 12 das Regras do Futebol, relativa a “Faltas e Comportamento Anti-Desportivo, também se pode ler que:
É concedido um pontapé-livre indirecto à equipa adversária sempre que o guarda-redes mantiver a bola em seu poder durante mais de seis segundos antes de a soltar dos mãos.
Ora vamos ser perfeitamente claros, já depois do FCP estar a ganhar houve pelo menos 2 situações em que o GR Hélton agarrou a bola e esteve largamente mais tempo para soltar a bola do que os 6 segundos que a lei claramente diz. Estes factos são inequívocos e facilmente provados quando visionados pelas imagens, uma vez que o relógio está a trabalhar.
Muito bem, se Proença estivesse atento poderia marcar livre indirecto VERDADEIRO nestas duas ocasiões. Mas onde está o seu critério ou qualidade?
Bem sei que os árbitros não marcam esta história dos 6 segundos, mas algum dos leitores já tinha visto marcar em algum lado um livre como este que marcaram ao Sporting?

Termino recomendando a Vítor Pereira que o mande para a Jarra durante umas semaninhas e depois o ponha a apitar umas semanas nas regionais.
Depois pode então na 12ª Jornada (início de Dezembro) nomeá-lo para o Benfica – Porto pois ambos os clubes devem ficar satisfeitos com a nomeação.
O Benfica, porque o homem assumiu publicamente o seu clube e até é sócio, já lá praticou andebol e até tem lugar cativo na Luz; e o Porto porque desde ontem se tem desfeito em elogios ao indivíduo e porque na altura terá sempre o motivo dele ser da A.F. Lisboa para o pressionar da maneira que tanto gostam.

Sportingman disse...

Esse teu texto diz e muito do que se passou, se por um lado na minha opinião se possa dar benefício da duvida, em outros é ridiculo a forma de decidir desse senhor... Como diz o pasta de dentes: "Haja Coragem" de o por na jarra!

PPA disse...

Até o Jornal deles e pela boca dum velho árbitro nosso conhecido!

Arbitragem, ao Raio X, José Leirós
No F. C. Porto-Sporting aconteceu um lance e uma decisão do árbitro Pedro Proença que tiveram influência no resultado. Polga faz um corte da bola, Tonel deixa-a passar para o guarda-redes Stojkovic que a agarra. Proença considera atraso deliberado e marca livre indirecto. A Lei 12 - Faltas e Comportamento Antidesportivo - diz que um pontapé livre indirecto será concedido à equipa adversária do guarda-redes que, dentro da grande área, cometa uma das quatro faltas seguintes manter a bola em seu poder durante mais de seis segundos; tocar uma nova vez a bola com as mãos depois de a ter soltado, sem que ela tenha sido tocada por outro jogador; tocar com as mãos uma bola vinda directamente de um lançamento lateral efectuado por um colega de equipa; tocar a bola com as mãos vinda de um passe atirado deliberadamente com o pé por um colega de equipa. Ora, não foi isso que aconteceu no Dragão. Polga fez um corte, não atrasou deliberadamente a bola para Stojkovic. O presidente da Comissão de Arbitragem da Liga deve agir e explicar se esta e outras decisões foram correctas, como fez Keith Hackett, responsável pelos árbitros em Inglaterra, que afastou o juiz Rob Styles das jornadas seguintes e ambos reconheceram o erro no Liverpool-Chelsea (penálti mal assinalado). Proença falhou demasiado técnica e disciplinarmente e deve sair da equipa. Assim, os amantes do futebol perceberão que árbitro errou e que os erros têm consequências. Até para que os objectivos da Liga - mais espectáculo, mais espectadores, mais credibilidade e mais ética - não sejam colocados em causa.

PPA disse...

Corporativismo saloio: ao menos que se confesse e comungue!

Ainda ontem EXIGI que Vítor Pereira aplicasse um severo castigo ao árbitro que não sabe as leis ou que as cozinha á sua maneira (Pedro Proença); mas o eterno Corporativismo saloio deu em quase nada.
Pronto, o Proença lá levou um castigo “disfarçado”, vai apitar a Fátima; o que não deixa de ser irónico, pois sempre se pode confessar e arrepender dos seus pecados. Duvido é que seja absolvido, mas não faz mal pois já foi BENZIDO, ABENÇOADO e VACINADO pelo Papa das Antas.

Nomeações para a 3ª Jornada:
Sporting - Belenenses, Carlos Xistra (Castelo Branco)
Nacional - Benfica, Bruno Paixão (Setúbal)
União de Leiria - FC Porto, João Vilas Boas (Braga)
Marítimo - Académica, Paulo Costa (Porto)
Naval 1.º Maio - Vitória de Setúbal, Cosme Machado (Braga)
Sporting de Braga - Estrela da Amadora, Rui Costa (Porto)
Paços de Ferreira - Boavista, Paulo Paraty (Porto)
Leixões - Vitória de Guimarães, Paulo Baptista (Portalegre)

Por agora não vou adiantar mais nada, apesar deste XISTRA ser um velho conhecido dos Leões.
Quanto ao resto, parece mesmo que Camacho e o Benfica vão finalmente ganhar um jogo e que o Porto vai continuar a “olhar para baixo”.

PPA disse...

Banho de Bola?

Já aqui escrevi numa caixa de comentários, que no último Porto – Sporting, contrariamente ao que afirmam alguns Portistas cegos, a equipa da casa esteve longe de dar “um banho de bola”, mas a verdade é que eu próprio tinha e continuo a ter a ideia que o Porto terá sido superior no computo total do jogo, apesar de considerar o empate como o mais certo para o jogo em causa. (Evidentemente que me estou a abstrair completamente da influência da arbitragem na partida).
Para esta ideia de que o Porto foi superior, muito terá contribuído o facto do lance de Quaresma ao ferro e do Sporting só ter rematado à baliza à passagem da meia hora de jogo.
Mas será sempre importante lembrar que as minhas primeiras palavras no post sobre o jogo foram: “Num jogo equilibrado”…
Mas devido ao “calor” e tensão no final da partida, só hoje soube das estatísticas da partida, e tive agora uma “grande surpresa” no programa Trio de Ataque!
A estatística do jogo é extremamente equilibrada, com as equipas a EMPATAREM praticamente em todos os aspectos, a saber:
- Posse de bola
- Remates
- Remateis direccionados à baliza
- Remates Perigosos
- Livres
- Livres Perigosos
- Cantos
- Passes de ruptura
- Perdas de bola
- Recuperações
Apenas num aspecto não foi equilibrado: nos cruzamentos, onde o Sporting efectuou muito mais.
Decompondo as estatísticas, conclui-se que a 1ª Parte foi de domínio Portista e a 2ª Sportinguista.
E vocês, estavam à espera destes dados estatísticos?